.

Alt
William Lacy Swing, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), realça o facto de “pela primeira vez os problemas da migração são prioridade em todos os países do mundo”, ainda que “haja uma incrível falta de liderança política para lidar com o problema da migração”. 

O diretor-geral da OIM felicitou a União Europeia, e os estados membros, por terem “percebido que é preciso salvar vidas” e salientou que “a migração não é uma crise que deve ser resolvida. 
A migração é um problema da Humanidade” e adiantou que “a migração é desejável” e que, por isso “temos de ter um mundo com uma boa gestão da migração”. 
“Em vez de se construírem pontes, estão a construir-se muros”. William Lacy Swing considerou que “há um mundo que falta construir. É um mundo onde temos de ter responder e ajudar melhor os refugiados, que estão a morrer nas águas do mediterrâneo ou sufocados em camiões. São pessoas que estão à procura de emprego. Os estados não lhes têm dado o apoio necessário”. 
William Lacy Swing, que falava nas Conferências do Estoril, adiantou ainda que “é preciso informar as comunidades e os migrantes dos seus direitos e deveres”. Numa sala cheia, William considerou ainda que “precisamos de fazer mais para travar o tráfego dos seres humanos” e concluiu que “a migração é tão velha como a Humanidade, faz parte da Humanidade” e que “a migração deve ser tratada de “forma digna”. 
Os migrantes representam “3,5% da população mundial desde os anos 50 (séc.XX) e produzem 9% do PIB mundial, mais 4% do que se estivessem no seu país de origem”. 

As Conferências do Estoril, hoje na sua 5ª edição, são um palco de debate entre os maiores pensadores de todo o mundo, centrado nos problemas inerentes à globalização. As Conferências do Estoril são organizadas pelo Estoril Institute for Global Dialogue, com o apoio da Câmara Municipal de Cascais, e contam com o Alto Patrocínio da Presidência da República Portuguesa. De 29 a 31 de Maio, no Centro de Congressos do Estoril, em Cascais.